Da Série Boas Notícias: A Desigualdade é Insustentável


Apesar do Brasil ainda ser desigual, devemos comemorar a queda dessa desigualdade noticiada no fim de setembro pela pesquisa do IPEA (Instituto de Política Econômica Aplicada). Os números mostram que continuamos entre os países mais desiguais do mundo, infelizmente, mas também mostram que estamos crescendo em ritmo muito maior que os países europeus, com índices de desigualdade crescentes desde 1985, a exceção da França e Bélgica.

 

A China também apresentou pequena baixa na desigualdade, porém a grande diferença do crescimento brasileiro, se comparada com o país oriental, é que o modelo de desenvolvimento econômico adotado pelo Brasil vem se mostrando mais humano, sustentável e inclusivo. O Brasil de ontem, assim como a China de hoje, já experimentou o crescimento econômico sem desenvolvimento humano “fazer o bolo crescer para depois dividir”. O bolo cresceu e poucos o experimentaram; é o que vem acontecendo na China: formando poucos milionários e muitos miseráveis em condições de vida indigna.

 

Parece que estamos no caminho certo, pois as últimas medidas de incentivo à economia, anunciadas pela Presidenta Dilma no dia 24 de setembro, reforçam este modelo de desenvolvimento.

 

Leia Mais – http://migre.me/b3Rou

Veja o documento entregue à Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante a Rio+20 “A Desigualdade é Insustentável” – http://migre.me/b4Wk7

 

“Riqueza é dispor de tempo e liberdade”, Eliane Belfort

Leia mais

Boas Notícias

 

Passa ao largo as transformações positivas que o país vem sofrendo e a imprensa raramente se ocupa de comentar as boas notícias. Por exemplo, as que são trazidas pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), apontam rendimento crescente em quase todas as regiões, maior escolaridade, menos desemprego, mais acesso a novas tecnologias e ainda um perfil de país rico, onde os mais velhos ficam mais tempo no mercado de trabalho e os jovens mais tempo na escola.

 

Para dar foco aos fatos que estão construindo um novo Brasil, meu Blog começa hoje uma ‘Série’ com as boas notícias. Publicaremos semanalmente uma nota que demonstre como nosso país tem evoluído e melhorado em muitos quesitos. Temos muito ainda a construir, mas mostrar os fatos positivos anima a todos a tentar, também, melhorar individualmente, o que resultará na melhora coletiva.

 

A boa nova dessa semana – http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/brasil-um-pais-menos-desigual-com-excecao-da-regiao-norte

 

 

“Riqueza é dispor de tempo e liberdade”, Eliane Belfort

Leia mais

Encontro Paulo Skaf e David Cameron

[/caption]

 

No momento em que o país começa a investir na infraestrutura tão necessária para a continuidade do desenvolvimento econômico, Paulo Skaf recebe na FIESP o primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron. O momento é oportuno, a exemplo do Século XIX e a parceria pode render bons frutos. Agora o Brasil ganha com instrumentos de competitividade e os britânicos com a oportunidade de investimentos para sair da crise e do marasmo que assolam o Continente Europeu.

 

“Riqueza é dispor de tempo e liberdade”, Eliane Belfort

Leia mais

Para Minhas Amigas Candidatas

 

Os homens, notadamente aqueles tradicionais ciosos de sua trajetória e história, normalmente temem arriscar novos caminhos, pois julgam eles, pôr em risco a imagem construída para si mesmo e que acabam acreditando que é real. Nós mulheres, arriscamos mais, não porque não levemos a sério nossas trajetórias e histórias, mas porque estamos sempre prontas a recontá-las.

Há poucas semanas assistimos um político que se leva muito a sério, hoje carta fora do baralho, mas que está louco para voltar a fazer parte do jogo, porém sem coragem para o embate político, alçou um balão de ensaio para testar o alinhamento, disciplina e vaidade política da Presidenta da República. Vai que ela tope uma aventura, mudando de campo político, aí o individualismo, a preguiça e inépcia seriam regiamente recompensados, preservando o estilo fisiológico, oportunista e personalista de fazer política desde a velha República.

A Presidenta vem conquistando a classe média por sua postura firme, franca e competente, o que leva a oposição, no auge dos seus delírios de prepotência, entender que Dilma representa o seu estilo de governar e não o estilo do partido do qual ela é filiada.

A falta de posições ideológicas, o oportunismo e o personalismo conduzem ao vale-tudo na política e na vida, onde traições, embustes e dissimulações são moedas corrente que têm levado o país ao rebaixamento moral e a um cinismo consensual.

Bom que Dilma mostra que é possível não só um novo jeito de governar, mas que há também um jeito novo de fazer política.

Eu não sei, mas desconfio que Lula, ao indicar Dilma para sua sucessão, mais que sua competência e disciplina, entendeu seu caráter, que nos parece não transige com o essencial, a lealdade. Lealdade que só uma mulher forte é capaz de manter, renegando e se indignando com os ‘cantos de sereia’. Esta integridade deve ser o farol e o grande exemplo para as mulheres que estão pleiteando cargos eletivos, que façam política da mesma forma que constroem suas vidas pessoais, com honestidade, coragem e lealdade, onde o cuidar do outro e do coletivo está sempre à frente do eu.

Nós, mulheres, já temos tantos encargos e penso que só vale a pena assumir mais um, se for para fazer a diferença.

Boa sorte a vocês todas em suas campanhas. Torço para que consigamos aumentar nossa participação política nas Câmaras e nas Prefeituras, mas que esse aumento não se reflita somente na quantidade da representação, mas principalmente na qualidade do que farão para os representados.

 

“Riqueza é dispor de tempo e liberdade”, Eliane Belfort

Leia mais

Questão de Gênero

 

O Artigo “Os homens que odeiam as feministas”, de Ivan Martins, publicado na Revista Época em 12 de setembro, aborda a questão do protagonismo de forma lúcida e corajosa, com a legitimidade e o conhecimento de quem se coloca como um observador privilegiado de seu gênero. Ivan nos leva a reflexões mais profundas do que a simples desigualdade de gênero e nos remete à relação de poder que os homens sempre exerceram e encaram como elemento natural e divino adquirido no berço.

A observação de que os homens estão com medo de perder todos os empregos e prerrogativas que a eles pertenciam, e que muitas mulheres estão cansadas ou assustadas com a perspectiva de trabalhar duro pelo resto da vida acumulando as funções de mãe, dona de casa e funcionária exemplar, nos leva a refletir também que a autonomia e a liberdade vêm possibilitando escolhas e reflexões do
modo de vida da sociedade, que nunca mais será a mesma com um modelo único a ser seguido, com severas sanções sociais a quem dele se desviasse.

Ivan tem razão. Tem sim muita gente assustada e com medo, pois procuram por um modelo ajustado e aprovado socialmente. E hoje o que se espera, é a construção individual desse modelo, que resulta nos mais variados arranjos sociais e familiares, sem sanções sociais, mas com muita frustração individual. Porque a liberdade pressupõe para homens e mulheres, comprometimento e responsabilidades individuais para a construção da felicidade e de uma sociedade mais harmônica, igualitária, justa e fraterna.

 

“Riqueza é dispor de tempo e liberdade”, Eliane Belfort

Leia mais

Eleições

Câmara Municipal de São Paulo

Você já escolheu sua candidata(o) a vereadora?

Este assunto é impertinente, não gostamos de pensar sobre ele, e quase sempre votamos porque somos obrigados. Votamos desesperançados porque sabemos o quanto é difícil mudar hábitos e práticas que condenamos na política e nos políticos.

Apesar da imprensa inconsistente e alguns políticos cínicos colocarem a culpa das más escolhas no eleitor, sabemos que isso não é a verdade, pois nosso modelo político permite eleger quem não é votado; basta que o partido tenha um bom “puxador” de votos. Origem dos tiriricas, jogadores de futebol, cantores muito populares e etc. se elegendo e elegendo desconhecidos sem nenhum compromisso com a cidade e a população.

Eu me uni a um grupo de mulheres na esperança de minimizar esse quadro. Convidamos nossa amiga Cristina Kirsner, que aceitou a missão de nos representar na Câmara, com a perspectiva natural de que o mandato não será dela, mas do grupo que está construindo a sua candidatura, que apoia e confia no comprometimento e idoneidade da Cristina. Levaremos para a Câmara o trabalho com independência política, pois o apoio contínuo e forte de um grupo permitirá que o seu mandato possa ser propositivo, crítico e fiscalizador do executivo.

É preciso retomar a função da Câmara que o compadrio dos partidos e a domesticação dos vereadores pelo prefeito de plantão têm diminuído, resumindo-a em nomear ruas, ofertar títulos e homenagens, e propor dias comemorativos. Sabemos que mudar não é fácil e a pressão é forte para que todos caiam na vala comum. Por essa razão, escolhemos a Cristina, uma mulher forte na atuação, mas suave na articulação, modesta ao falar, mas superlativa no fazer. Como toda mulher, ela é multifacetada, concilia a mãe dedicada e a esposa companheira com a cidadã educação. Criou e mantém o portal Interlagos porque acredita na construção e realização coletivas. É empresária porque acredita na produção de riqueza e criação de empregos.

Convivo com a Cris desde a campanha do Paulo Skaf para a presidência da FIESP, convívio que se intensificou nesses quase 10 anos, quando a convidei para ser minha diretora adjunta no CORES (Comitê de Responsabilidade Social/FIESP), e passei a admirá-la.
Sua postura é firme, sempre pautada pela ética. Seu caráter é forjado pelo amor e otimismo, admirado por todos que têm o privilégio de desfrutar da sua amizade. Cristina é competente, leal, sincera, amiga de seus amigos, amante do bem, empreendedora acostumada a enfrentar dificuldades, não se abatera frente a esse novo desafio que a ela confiamos: o de nos representar na Câmara.

Eu confio e avalizo, dou procuração para que me represente nos próximos 4 anos e chamo você para integrar essa nova empreitada. Anote seu nº 43131.

Vamos juntas fazer a diferença na Câmara Municipal de São Paulo!

 

“Riqueza é dispor de tempo e liberdade”, Eliane Belfort

Leia mais